15 setembro, 2009

.re.cor.da.ções.


Toda vez que decide ir naquela casa, e no exato segundo em que e coloca a mão na maçaneta da porta o mundo para, e seu coração é invadido de boas recordações: o balanço pendurado na árvore, o cheiro de café fresquinho vindo da cozinha, o jornal que não podia ser mexido antes do dono ler (e ela só gostava de ler os quadrinhos...), as histórias contadas com a luz apagada, as fotos postas em molduras em cima do piano. Cada uma contando um momento da sua vida: nascimento, batizado, primeiro aniversário, primeira comunhão, o primeiro dia de surf, formaturas e casamento.

Seus passos são guiados por um cheiro indescritivel do seu bolo preferido, e então seguindo até o jardim a vê sentada embaixo da árvore mais frondosa, dando de comer aos passarinhos que a visitam todos os dias.

Seus olhares se cruzam e ela pode sentir o tanto de amor que sentem uma pela outra. Elas abrem um sorriso, abrem os braços e aquele abraço que tantas vezes a consolou ainda está lá. Com seus olhos marejados e a voz embargada, ela faz sua declaração de amor: "Eu te amo, vó!"
E ficam ali contemplando aquele momento.

.Luana Pavonelle.

Imagem Daqui.
P.S.: É bom estar de volta, apesar de ficar na correria foi mto bom poder cuidar do meu "paciente". Rssss...

15 comentários:

Gabriela M. disse...

entendi.

meu outro blog, continua lá.
por que?

:)

Coração Alado disse...

Eii Luana! Bem-vinda de volta!
:D

ai que saudade eu tenho da minha vó...
não, ela não morreu! mas mora longe...
fui criada com ela, sabe? morro de saudades!!
um beijo!!

disse...

Vó, quando nos vê chegar em sua casa, basta olhar... não é preciso dizer nada! Vó é vó... e basta.

É muito bom tê-la de volta, Luana!
Que o seu paciente, Vicente, esteja totalmente recuperado!!

Beijos.

Késia Maximiano disse...

Aaahhh, eu imagino como cheirinho de vó deve ser tudo de bom... cheiro, recordação...

Eu não conheci nenhuma das minhas...

Beijão

Lela disse...

Fui te lendo e recordando da minha infância. Como é bom esse cheirinho de café, esse abraço único no mundo... Esse cuidado e carinho que só elas tem, indiscutivelmete.

Beijo

Jaya disse...

Lu,

Quase choro. Molhei os olhos, sabe? Porque essa coisa de vó é algo que me deixa sorrindo por horas a fio. E me lembrei tão intensamente das minhas, que quis abraçá-las. Agora.

A emoção de entrar na casa delas, que guarda tanta história nossa, tem um cheiro que traz os melhores sentidos pra dentro da gente. E isso é mais que amor.

Vocês duas são lindas.

Um beijo, moça.

P.S.: Ainda bem que tudo já passou, e agora vocês estão tranquilos.

Jéssica Trabuco disse...

Que gostoso o seu texto!
Amor de vó é muito bom *-*


Lindo blog ;)

Hosana Lemos disse...

saudades de minha avó =/

Aquela tal de brito disse...

incrivel
todos os textos sao demais aqui
aamor de vó é muito bom!

Vinícius Remer disse...

Achei teu blog por aí, na Blogosfera, shausha. Gostei do texto, tenho um texto sobre amizade também, mas não sobre as minhas. Acabo criando, e roubando sentimentos alheios. Amigos são bons, ainda mais quando tem um laço maior que o sangue. Beijo. Já estou te seguindo ;D

Vanessa M. disse...

Sinto falta. As vezes queria ter uma relação assim com minha vó. Ver essa coisa toda querida, senti como segunda mãe. Não vivo isso com minha vó.

Flavih Jones disse...

Li teu post e bateu a saudade da minha vó.
Ela mora longe, mas sempre q dá vou lá, só pra sentir um pouco disso q vc falou. =D

Beijo

Larissa disse...

Gostei daqui. :)

Jou Jou Balangandã disse...

Sapatos vermelhos são sempre marcantes. O seu blog também!


Parabéns!!!

K. disse...

Que delícia de blog...tô seguindo! Beijos, K.